Visibilidade Gorda no Sesc Pompeia

escrito por Maggníficas


Ei, pessoal! A gente adora divulgar os eventos mais bacanas que acontecem envolvendo moda democrática, empoderamento, representatividade e amor próprio, e esse é mais do que especial: no próximo sábado acontece na Comedoria do Sesc Pompeia mais uma edição do Boteco da Diversidade, e o tema é Visibilidade Gorda!

Preta Rara: mestre de cerimônias dessa edição

O Boteco da Diversidade teve sua primeira edição em Fevereiro de 2017 e a Visibilidade Gorda é tema da sétima edição, que propõe conversas políticas e performances artísticas sobre a vivência de pessoas gordas no Brasil. Mês a mês uma temática diferente é abordada, promovendo visibilidade de assuntos vinculados à diversidade cultural e à defesa dos direitos humanos (o projeto já debateu os temas Visibilidade Trans, Feminismo, Masculinidades, Prostituição, Sexualidade e Deficiência e o Boteco de Férias).

A sétima edição do projeto traz um diálogo artístico e político que busca reconhecer as diversas corporalidades existentes, além de expressar vivências e situações enfrentadas por pessoas gordas no Brasil. Por meio de uma linguagem poética, participantes trazem mensagens de resistência e combate à gordofobia e expõem como ela é manifestada na rotina de pessoas gordas, desde situações de convívio social e consumo até na promoção dos direitos básicos, como saúde e o transporte público.

Grupo Me Gusta apresentará performance exclusiva no evento

"A gordofobia é a repulsa ao corpo gordo. É uma opressão estrutural que marginaliza esse corpo, tornando-o palco para a chacota, o desprezo e ódio através de dua invisibilização, e também patologizando-o, impedindo-o de ocupar os espaços públicos e privados por falta de acessibilidade", explica Rachel Patrício, ex-estudante de Nutrição da Unifesp e ativista anti-gordofobia.

MC Preta Rara é a mestre de cerimônias dessa edição do Boteco da Diversidade, e, com exclusividade, exibirá um trecho do episódio "Ocupação GGG", de sua nova websérie, Nossa Voz Ecoa. O episódio será comentado pela própria MC e pela comunicadora, DJ e empreendedora Flávia Durante.

Riot Queens, coletivo idealizado para e por mulheres drag queens, farão uma performance com seleção musical que reflete a vivência e o empoderamento da mulher gorda

Draga da Quebrada aborda a temática também usando da imagem e expressão da arte drag, apresentando um monólogo que interligue o movimento LGTBQ+ e a questão da gordofobia. O artista visual Junior Azhura fará sua performance "Vista-se", em que, ao tentar vestir diversas roupas, reflete sobre a forma como a indústria da moda trata o corpo gordo, além do seu predomínio em ter como público alvo pessoas donas de um corpo magro. 

Flávia Durante rainha da p**** toda foi a responsável pela co-curadoria, nesse evento que conta com uma programação cheia de participantes maravilhosos:

Flavia Durante 
É comunicadora, DJ e empreendedora nascida em São Paulo e criada em Santos. Desde 2012, produz o Pop Plus, feira de moda e cultura plus size que recebe cerca de oito mil pessoas por edição. Ao longo destes cinco anos, tem desmistificado conceitos e conselhos que mulheres e homens vêm ouvindo há décadas em relação à moda.

DJ Tati Yuki
DJ nas noites do interior de São Paulo há cinco anos, sempre faz a diferença com seu set repleto de R&B, pop e funk. Lésbica, gorda e negra, luta para conseguir cada vez mais espaço em um meio onde dão muito valor à aparência padronizada.

Junior Ahzura
Artista visual, fotógrafo, educador, membro do coletivo Ponto e Vírgula, voguer e viciado em videogame. Tem interesse nas inserções imagéticas dentro das mídias sociais, nas relações entre corpo e espaço, identidade de gênero e sexualidade, bem como no registro da performance e seus desdobramentos.

Riot Queens (com Cherry Pop e Ginger Moon) 
Coletivo pensado por e para mulheres drag queens para falar sobre essa jornada, assim como os obstáculos no meio drag e reafirmar sua arte. O Boteco de agosto conta com a participação de Cherry Pop e Ginger Moon.

Cherry Pop 
Drag Queen, burlesca, glitterrorista, sideshow freakDrag queen há dois anos, envolvida com a militância gorda, feminista e LGBT, usa a arte misturada com a política em suas performances.

Ginger Moon
Drag queen paulistana, coreógrafa do coletivo Riot Queens, atriz. Usa a sua luta contra gordofobia e estereótipos de mulher em suas performances.

Draga da Quebrada
Carlos Luiz é interprete da personagem Draga da Quebrada. Formou-se em Letras pela Unesp e atualmente cursa Psicologia. Exagero puro, performa apenas músicas nacionais. Seu corpo é gordo, periférico e político, sua arte é resistência e persistência em mundo onde não se encaixam os que estão fora da “norma”.

Grupo Me Gusta
Grupo de dança é formado por dançarinas gordas que têm o objetivo de empoderar e estimular a autoestima de outras mulheres por meio de performances e atividades de dança. A formação atual conta com Jéssica Chamma, Joyce Cavichio, Luana Nazareth e Natália Haidamus.

Preta Rara 
Joyce Fernandes, 32 anos, é conhecida como Preta Rara, é rapper, turbanista, professora de história e poetisa. Sua trajetória é marcada pela atuação e militância em movimentos negros e feministas. Suas músicas falam sobre empoderamento feminino, racismo, machismo, gordofobia e relacionamentos amorosos. Lançou seu primeiro disco, ‘Audácia’, em outubro de 2015. Tornou-se porta-voz das empregadas domésticas no Brasil depois de criar a página Eu Empregada Doméstica no Facebook.

Karina Zonzini
Gestora de projetos sociais, proficiente em Libras, especialista em educação inclusiva e políticas da educação. Trabalha para assegurar e promover, em condições de igualdade, o exercício dos direitos das pessoas com deficiência. Mantém a ONG Surdo Mundo.

Rachel Patricio
É ativista pela luta anti-gordofobia e ex-estudante de Nutrição da Unifesp. Acredita que peso não define saúde e bem estar.

Karina Beraldo
Designer e ilustradora formada em Desenho de Moda. Trabalha como designer têxtil há mais de dez anos, também ilustrando seus próprios desenhos e pinturas. Mistura técnicas fluidas como aquarela e bico de pena com desenho, na criação de figuras, principalmente femininas, com formas sensuais além dos padrões corporais, as estéticas tribais e figuras étnicas e linhas.

Júlia Rocha
Militante feminista, admiradora e escritora de poesia marginal. Colaboradora de pesquisas no site Moda Sem Crise, encontrou na arte de rimar uma forma de contribuir para a construção da autoestima da mulher gorda.


Boteco da Diversidade: Visibilidade Gorda começa com discotecagem da DJ Taty Yuki, e ao final do boteco, Preta Rara fará um pocket show com músicas de seu álbum, ‘Audácia’, acompanhada da tradutora de Libras Karina Zonzini. Será a primeira vez que Preta fará uma apresentação com tradução na linguagem ao vivo.


Serviço - Boteco da Diversidade: Visibilidade Gorda
Data: 05 de Agosto
Horário: 19h30
Local: Comedoria do Sesc Pompeia
Endereço: Rua Clélia, 93 (não há estacionamento no local)
A entrada é gratuita e a retirada de ingressos é feita 1h antes.
Confirme sua presença no evento www.facebook.com/events/792814880904037

Fonte e fotos: Divulgação


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com