Laerte-se

escrito por Marina Sena


Com certeza vocês já ouviram falar de Laerte Coutinho. Se não, com certeza já viram uma de suas tirinhas, geniais:


A cartunista – que é incrivelmente brilhante, por sinal – é protagonista do documentário Laerte-se, o primeiro documentário brasileiro da Netflix (como não amar a Netflix?), que teve sua estreia mundial no último dia 19. Laerte passou toda sua vida sendo identificado como homem, mas apresentou-se como mulher há poucos anos: o documentário mergulha na auto investigação da própria Laerte a respeito de sua identidade de gênero.

           
"Depois de quase 60 anos como homem, três filhos e três casamentos, Laerte Coutinho, um dos cartunistas mais geniais do Brasil, apresentou-se como mulher. O primeiro documentário brasileiro original Netflix acompanha a investigação de Laerte sobre o mundo feminino na intimidade do cotidiano."

Assisti Laerte-se no último final de semana, e: que documentário lindo! Laerte abre as portas de sua casa e de sua mente para nós, e eu sinceramente achei que fosse ver um documentário todo “certinho”, com uma pessoa bem de boa, desconstruidona e tal, com falas sobre empoderamento e autoestima, mas o que vi foi um documentário totalmente livre com uma pessoa inteiramente despida mostrando suas reais inseguranças – o que a tornou extremamente corajosa ao dividir isso com a gente, se mostrando consciente de toda sua caminhada, certa de sua jornada. Ela é uma pessoa que é, que vive em sua totalidade e dá valor ao “ser”.

Ela expõe sua intimidade na própria casa, com falas profundas e por muitas vezes complexas. São várias as questões abordadas e a linha traçada no filme parte para a questão do que é ser mulher. Interessante observar que a casa dela também estava passando por uma reforma: sintonia de transformação!

O documentário nos convida a pensar diferente, a ir além de pré-conceitos, a quebrar padrões e paradigmas, questionando tudo o que achamos que sabemos sobre identidade de gênero. É sensível, e tentei por várias vezes me colocar em seu lugar.

Há um viés bem íntimo no documentário, devido a grande exposição pessoal e também da família, além de opiniões sobre outros assuntos e também silêncios – uma das minhas coisas preferidas no mundo, por significarem tanto.

Com direção de Eliane Brum e Lygia Barbosa da Silva, Laerte-se é um documentário que ninguém pode perder! Laerte é uma pessoa fantástica, com dúvidas e certezas que a tornam tão humana. É inteligente e encantadora! O documentário é extremamente sensível e sutil, de uma beleza singular: retrata mesmo a caminhada de Laerte e todas as suas impressões quanto a busca por sua própria identidade.


Pela liberdade de ser quem somos! ♥


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com