Como você sente?

escrito por Marina Sena


Faz uns anos que não seguro mais o choro. Antes, achava que demonstrar emoção era fraqueza e que ser sensível era ruim. Hoje, eu não seguro mais as palavras quando quero dizer que gosto de alguém. Não acredito em jogos de conquista, ou que pra falar que ama, um deve esperar o outro dizer. 

Eu choro e falo que gosto quando tenho vontade de fazer isso.

Minha irmã acha que sou sensível demais. E sou mesmo. Mas ela fala como se isso fosse ruim, e eu não acho mais que é. Por um tempo achei que tivesse que omitir meus sentimentos, não me importar mais, me doar menos... Mas aí eu seria menos eu. E me pergunto: por que parar de sentir (ou sentir menos) se é isso que faz sentido pra mim? 


Sentir é o que movimenta minha vida, dá sentido as minhas viagens, escolhas, pessoas, profissão e tudo o mais!

Você pode pensar diferente de mim, e achar que isso é errado. Que é errado se expor. Mas desde que segurei um choro e fiquei um tempão com um nó na garganta por não ter colocado isso pra fora, eu sei que sentir de verdade é o certo pra mim. E falar sobre eles depois - ou escrever, como estou fazendo agora. É como eu lido com meus sentimentos, é como as emoções não ficam reprimidas aqui dentro de mim.

O que é certo e errado?


Não vou mais segurar sentimentos, mas sei que preciso aprender a lidar com quem os segura, com quem não os sente da mesma forma, com quem se importa menos com isso e mais com outras coisas.

Já fiquei chateada demais por não se importarem tanto quanto me importo, mas sei que cada um tem suas escolhas, cada um vive à sua maneira, como acha melhor. E eu não preciso entender. Só aceitar e continuar a me sentir.

Imagens via Sol que me falta


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com