Não precisa estar de boa

escrito por Rosa


Eu sou bravona. Arrumo briga com homem folgado nas baladas. Assusto aluno no primeiro dia de aula, mas no fundo, bem no fundo, eu sou muito "de boa". Nunca fui atrás de ex namorado pra dar barraco, nunca fiz cena de ciúmes quando algo aconteceu (aliás, sofri calada meus ciúmes todos). Nunca fiz cena nenhuma. Sou uma pessoa de boa. Diplomática. Consigo sorrir e fingir uma paz de espírito maravilhosa enquanto minhas dores jantam meu estômago.

Mas eu deveria?
Faz pouco que eu me questiono. Todas as vezes que eu me calei, eu não o fiz para me preservar, mas para preservar a outra pessoa. É claro que existem situações em que a gente não deve agir dessa ou daquela maneira pra não machucar a nós mesmas.

Mas não foi por mim que eu me calei diversas vezes.
Aliás, foi para não incomodar o outro que eu não disse que ficar tanto tempo sem me comunicar me deixava angustiava.
Foi para não tirar o outro de sua zona de conforto que eu aceitei situações que me deixavam infeliz e desconfortável.
Foi para, supostamente, não ofender o outro que eu sofri quieta, sem deixar o rímel escorrer no olho.
Foi por isso que eu fui de boa.

mãos dadas podem dizer tanto

E hoje eu me conheço melhor e sei que não preciso estar de boa se eu estou sendo preterida, escondida, ofendida, maltratada. Eu não preciso estar de boa se a outra pessoa não sabe que eu estou mal e eu tenho medo de contar. E se ela sabe, pior ainda.

Andei tendo a sorte de estar ao lado pessoas que erram, sim. E me magoam, sim. E me fazem sentir deixada de lado, mas que não querem fazer isso - fazem, porque a gente erra - e quando fazem, querem saber, querem me ouvir. Querem me devolver para o meu estado de conforto, porque veem que isso é responsabilidade de todo mundo no relacionamento e que só assim - e não nesse afã pela insegurança - alguma coisa saudável se constrói.

não fique com quem solta da sua mão

A insegurança pode até prender as pessoas, mas é pelo medo. É tipo ir pra igreja por medo do inferno, não é verdadeiro, não é honesto. Quando a gente se sente seguro e fica, aí sim tem alguma coisa de verdade nascendo.

Enfim, não é sobre estar com quem não erra,porque todo mundo erra...
Mas estar com quem aceita ouvir que errou.


Então, se doer, a gente não precisa estar de boa.




Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com