Todas somos maggníficas

escrito por Marina Sena


Há um tempo, conversando com uma amiga, ela comentou o quanto pareço segura com meu corpo e o quanto isso me torna mais segura na vida. Ela sempre me faz perceber o quanto vivo em harmonia amando meu corpo, dizendo que se espelha muito nisso também.

Ela é branca e o corpo dela pode ser considerado dentro do padrão, sendo aceito pela sociedade. Mas ela nem sempre parece feliz com ele como eu sou com o meu.

Encontrei hoje essa foto antiga – e já feliz com minhas gordurinhas

E eu parei para pensar: porque admirar uma gorda é mais fácil do que empoderar a si mesma?

Acho que se amar de verdade é mesmo algo muito difícil. Um trabalho diário, de formiguinha. Nós temos que, além de encarar toda uma sociedade, encarar a nós mesmas e nossos julgamentos.

Tenho uma parente que também sempre me diz o quanto sou linda, elogiando o modo que lido com meu corpo. Mas, na primeira oportunidade que surge, ela fala ~mal~ do corpo alheio, dizendo principalmente sobre como a pessoa em questão engordou.

Por que é tão difícil se livrar de algumas amarras? Por que tudo bem eu me amar sendo gorda, mas ao mesmo tempo não é tudo bem você engordar de nenhuma maneira?

Entendem o que estou dizendo? Estamos num caminho de empoderamento e amor próprio que não tem volta. Mas ainda há muito a ser percorrido. As opiniões são divergentes, e incoerentes na maioria das vezes em que o assunto surge.

Por que é lindo eu me amar sendo gorda, mas se você engorda um quilo já entra numa dieta louca?

É como se a (já) velha competição feminina entrasse em campo dizendo que se somos inimigas, que a inimiga pelo menos seja a gorda. Mas autoestima não é sinônimo de um corpo magro, e isso eu afirmo por experiência própria.

Essa é uma das minhas fotos preferidas, por simbolizar o amor por meu corpo; por muito tempo não gostei dessas gordurinhas nas costas e hoje acho o maior charminho

Já passou da hora de pensarmos em nós além dos corpos, de nos olharmos com pluralidade, com amor, com querer bem de verdade. Passou da hora de olharmos para nossos corpos – o nosso e o das outras mulheres – de forma mais humana, menos estética, abrindo os olhos também para outros tipos de corpos fora dos padrões que existem e que também podem ser bonitos – e são lindos!

Temos mesmo que nos olhar com mais amor, olhar para cada pedacinho nosso com carinho, com afeto, com um novo ponto de vista. Todas nós temos um corpo do qual devemos nos orgulhar, todas nós podemos ser o que quisermos, todas somos maggníficas e seremos ainda mais contando com o apoio sincero uma das outras 


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com