O meu cabelo tem jeito, sim!

escrito por Maggníficas


Post da série Maggnifiquinhas 
_________________________________________________________________________________

Hoje, esse texto é pra você. Você que um dia teve que ouvir que o seu cabelo é ruim, ou que “ele não tinha jeito”.
 
O meu cabelo é cacheado desde que eu tenho uns dois anos. O cacho dele é 3B, mais especificamente. Eu sempre sofri pra ter esse cabelo. O cabelo da minha mãe é liso e ela não sabia cuidar do meu, que era extremamente diferente do dela. A consequência era doer muito para desembaraçar. Mas em questões de autoestima, eu nunca liguei tanto assim. Eu era criança, e não me importava tanto com o que as pessoas pensavam, apesar de ter ouvido certas vezes que “não tinha jeito”.
 
Mas esse é apenas o início da história, em 2005/2006, mais ou menos. Vou avançar agora até 2013, quando eu tinha 11 anos, porque foi aí que o espelho começou a ser mau comigo. Meu cabelo nessa época era MUITO volumoso, e nada definido. Eu o penteava sempre pro meio e colocava atrás da orelha. Eu olhava para o espelho todos os dias de manhã e era isso que eu via, e não gostava nem um pouco. Eu chegava à escola e via quase todas as meninas com o cabelo lisinho, arrumadinho, todas sempre muito delicadas. E eu não. Eu me sentia grosseira perto delas. Eu tentava até mudar o meu jeito, mas nunca dava. Eu era sempre “a feia” do grupinho, e eu sabia disso.
 
Minha autoestima vivia baixa e eu não sabia o que fazer. Foi nessa época em que uma menina, pela internet, me mandou lavar o “sarará do meu cabelo”. Eu não lembro por que, e nem onde, mas isso mexeu comigo na época. Eu fui ouvindo essas coisas, e ficando com a autoestima cada vez mais baixa até mais ou menos abril de 2014, quando eu alisei o meu cabelo com chapinha pela primeira vez. A partir daí, foram só rosas! Eu lembro exatamente da segunda feira que eu cheguei na escola com o cabelo liso, preso numa trança. Eu passei a me sentir muito melhor. Como meu cabelo é fino, parecia que era liso naturalmente.
 

Tudo estava bem, até meu cabelo começar a se desgastar por causa da temperatura alta. Só a maior temperatura da minha chapinha o fazia ficar bem lisinho, então não demorou nada para ele começar a perder a saúde.  Ele começou a ficar cada vez mais oleoso, o que era completamente atípico pra mim, já que meu cabelo sempre foi meio seco. Isso começou a me incomodar.
 
Lá pro mês 8 daquele ano, eu cismei de cortar o cabelo um pouco maior no comprimento de um corte chanel (que inclusive ficou todo torto, mas eu só vi depois). Ou seja, muito curto mesmo, menor do que o meu corte atual. Nessa altura do campeonato, meu cabelo caia aos montes toda vez que eu alisava. Ele já era extremamente oleoso na raiz, e passou a ficar ondulado demais, já que eu comecei a transpirar o dobro na cabeça, principalmente dormindo. Quando eu acordava, odiava ver aquelas ondas ali. Pegava a chapinha, colocava no máximo, e passava naqueles fios. Foi assim até virar o ano de 2015.
 
Já era 2015 e eu estava de férias. Um pouco frustrada, já que ia mudar de escola. Eu continuava fazendo chapinha, apesar de ficar só em casa. Meu cabelo já estava grande de novo. Numa tarde de fevereiro, logo após lavar o cabelo e penteá-lo, eu me olhei o espelho. Mas não foi do mesmo jeito de sempre. Eu parei ali, e observei o meu cabelo do jeito que ele era. E gostei dele. Decidi que naquele dia eu não ia alisá-lo. Nunca mais. Era hora de mudar, de começar uma vida nova. Eu já ia mesmo mudar de escola, ninguém se assustaria ou demoraria a acostumar com o meu cabelo. Entrei no youtube e aprendi como cuidar dele. Estava extremamente frágil com tanta chapinha e secador. No dia em que eu decidi assumir meus cachos, era por volta de 10 de fevereiro. Eu fiquei feliz demais. Mandei até mensagem pra minha mãe contando.
 
E a partir daí até hoje, tudo ficou bem. Eu passei a cuidar do meu cabelo do jeito que ele merece, e jurei para mim mesma nunca mais tentar ser quem eu não sou, nem tentar ter a delicadeza que eu não tenho. Passei a gostar mais do meu jeito, tão original que é. Eu aprendi que cabelo ruim não existe e que ele tem jeito sim! Como uma coisa que nasce em mim não pode ser a certa? É a mais certa de todas. Hoje em dia eu tenho mais confiança, mais amor próprio, e eu espero ter influenciado alguém a voltar ao natural, por que isso é muito lindo.
 
Não achem que cabelo natural é moda, não. Eu gosto de moda, mas a questão aqui é muito maior que isso. Moda passa, mas a nossa natureza não. Ela é pra sempre.
 
E também não pensem que “Em terra de chapinha, quem tem cachos é rainha” também, não. O natural é lindo, mas é uma escolha. A gente tem que ser do jeito que acha que fica bem. 


 
Mariana Fernandes, 14. Nascida no verão, na região metropolitana de BH. Amo ler e escrever. Ainda não sei o que quero ser quando crescer, só quero ser muito feliz e realizar o meu trabalho da melhor maneira possível. Cacheada assumida com muito amor!


Você tem menos de 18 anos? Tem vontade de escrever sobre o universo feminino? Se identifica com o Maggníficas? Então vem escrever no Maggnifiquinhas! Um espaço no bloguinho feito pra você! Mande seu texto, foto e mini bio para maggnificas@gmail.com ou nos dê um oi por lá que a gente retorna contando tudinho! 
 
 
Esse é um espaço para dar voz a meninas jovens. Não necessariamente é a opinião das blogueiras. O empoderamento também passa pela possibilidade de diálogo.


2 comentários:


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com