Em crise. Por crise. Com crise.

escrito por Colaboradores Maggnificas


Há aproximadamente 2 meses eu parei de assistir a programas de televisão. Lembro-me de que esse foi um conselho muito sábio de uma amiga minha, Dani Rosa, quando eu cheguei a São Paulo. Magra. Me sentindo gorda. Horrível. Fracassada porque tinha acabado de sair de um acompanhamento nutricional (sair não, abandonar) e já tinha engordado 3 ou 4 quilos, de 8 que haviam ido embora. Lembro-me de que ela falou que eu era linda e que pra eu me sentir melhor teria que parar de acreditar nas coisas que a televisão falava sobre meu corpo, porque não tinha nada errado comigo. Custei a entender! Tinha só 21 anos. Toda vez que essa minha amiga querida me encontra me destina palavras de carinho e sabedoria sobre a mulher que eu virei. Mal sabe ela o que a mulher foda que ela é, foi um dos pilares pra que eu aprendesse a me amar.

O Maggníficas fez eu aprender a ter coragem. Alguns anos depois dessa conversa no metrô de São Paulo, engordei outros 20 quilos. Sofri por alguns anos com aquele novo corpo gordo, mas depois resolvi assumi-lo e amá-lo como nunca tinha amado o meu corpo magro. Nunca mesmo! Sempre focava na minha flacidez, nas estrias, celulite etc. Conheci a Marcella através da Aninha, uma amiga nossa em comum. E comecei a acompanhar os posts do blog através da página pessoal dela. Ver todas aquelas meninas gordas com as roupas QUE ELAS QUERIAM USAR E EXISTIAM abriu completamente a minha cabeça. Mais ou menos nessa época do ano passado usei minha primeira cropped. Mesmo pesando quase 110 quilos. Foi impressionante como meu peso não significou nada pra mim! Em nenhum momento eu permiti me sentir feia, porque sabia que estava linda. Eu apenas vesti uma roupa que eu queria e saí na rua, só isso. Pouco antes também eu perdi completamente a vergonha do biquíni. Acho que foi a maior liberdade que eu conquistei na minha vida.

Hoje em dia passo por um momento doido demais! Há 11 meses comecei um acompanhamento nutricional porque percebi que eu estava sem controle nenhum do meu corpo. E aquilo me assustou! Estava engordando com muita facilidade e achei que poderia facilmente perder o controle da minha obesidade. Já sentia muitas dores, falta de fôlego e nenhum prazer na comida. Foi o momento em que eu resolvi começar um novo acompanhamento nutricional. Dessa vez deu mais que certo, porque me libertei da merda dos padrões de beleza. Tirei a carga de que além de magra eu deveria ser dura, algo impossível pro meu biotipo. Emagreci 21 quilos.

Aí, por esses meses, percebi que estava em luto. Luto mesmo! Pela Mayra 48, 50. Gorda, realizada e bem resolvida. Mesmo mais magra usei por meses minhas roupas grandes que não me apertavam, mas já não serviam bem pois estavam muito largas. Nesse momento resolvi me despedir. "Tchau, Mayra. Você foi a mulher que mudou minha vida! Agora você tem que ir embora". Doei todas as minhas roupas grandes e comprei roupas novas M, G e 44.

Tenho um tamanho completamente novo. Que eu tinha com 21 anos, idade da conversa do metrô com a minha amiga sobre não assistir televisão. Estou pesando um pouco mais de 88 quilos e isso tá sendo doido demais pra mim! Rever algumas fotos e perceber que eu voltei àquele tamanho é uma crise estranha. Parece que uma parte da minha identidade foi embora junto com a Mayra de 110 quilos. O que não pode ser verdade! Mas é estranho quando as pessoas me dão parabéns pelo meu novo corpo. Eu aceito, mas sei que existe muito preconceito nessa frase. Agradeço, sempre. Porque realmente foi uma conquista. Ainda estou esperando quem vai dizer que eu estou mais bonita, pra dar uma resposta bem atravessada. Porque bonita, eu sempre fui. 

Obrigada, Maggníficas por me receber. Eis meu primeiro desabafo de muitos que virão. Vocês são mulheres em que nós queremos nos espelhar. Continuem sendo. Sempre.


Mayra Bertazzoni é professora de Língua Portuguesa, dramaturga, escritora e atriz. Sempre foi apaixonada pela palavra e a partir dela que fez suas escolhas até hoje. Sente que ser mulher é um desafio que deve ser encarado sempre com um bom batom vermelho!


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com