O que é normal para você?

escrito por Rosa


Sábado, assistindo ao "Altas Horas", também fiquei apaixonada pelo adolescente que fala de sua experiência como filho de duas mulheres que vivem um casamento homoafetivo. O vídeo é lindo (veja AQUI) porque mostra um adolescente tirando a dúvida de outros. Em determinado momento, um rapaz questiona como é ser filho de duas mulheres e não ter uma família normal. Normal foi o termo questionado pelo rapaz que disse que também tinha uma família normal. Ele repetiu: NORMAL (PAI, MÃE, FILHOS) Normal, entendem? Mas quem disse que a configuração tradicional do núcleo familiar é NORMAL? E o que está implicado em dizer que algo é NORMAL?

Lembrei de quando gravei para EPTV sobre moda plus e a entrevistadora, muito gentilmente inclusive, perguntou se eu usava roupa de tamanho normal também. Eu disse a ela que todo tamanho é normal, mas que imaginava que ela estava se referindo ao tamanho PADRÃO. E que o normal é ser da forma como somos. Acontece que, obviamente, cortaram esse trecho da entrevista na edição final.

Michel Foucault, muito antes, melhor e mais lindamente que eu, já discutiu o padrão de normatividade. Estabelecer o que é normal na sociedade significa que podemos estabelecer o que é o A-NORMAL. E a partir que a linha do normal é cruzada, podemos reproduzir violências. O que está implicado em dizer que algo é normal e dizer o que NÃO É.





É por isso que é tão grave acreditar que existe algo NORMAL: se a gente quiser violentar alguém vai ser grave CONTANTO que ele não esteja no padrão normal. Os a-normais podem ser ridicularizados, violentados, sucumbidos socialmente. A gente não se importa.


E a normalidade, que é um padrão autoritário e imposto, reproduz horrores: mata negros, viola mulheres, espanca transgêneros, exclui gordos, entre tantas outras coisas.

Dizer que algo é normal é tão somente dizer que naquilo não podemos tocar porque há uma sociedade inteira velando pela sua proteção. Anormal, mesmo, é achar que a proteção só é válida se dada a um grupo, anormalmente pequeno.


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com