Maggnifiquinhas: Feminismo como filosofia de vida

escrito por Maggníficas


Filosofia de vida. Estereótipos. Dois importantes conceitos que costumam estar conectados. Os estereótipos estão enraizados nas filosofias de vida e eles são frutos da desinformação. Por exemplo, o feminismo. Feminismo é uma filosofia de vida que vem sendo cada vez mais adquirida e discutida. Porém, o feminismo carrega muitas generalizações que, em sua maioria, não condizem com a realidade.

"Por quê ser feminista?" é um artigo do blog Blogueiras Feministas, da autora Laura Guedes de Souza, advogada, pós-graduada em Direito Penal, militante e pesquisadora feminista, que traz uma boa reflexão: por quê escolher lutar pelas mulheres dentre tantas pessoas que sofrem diariamente? "Todos os dias vemos violações de direitos humanos, especialmente de grupos minoritários que tem pouca representação social e sofrem com o preconceito e a exclusão. Os indígenas estão sendo exterminados, estamos tirando sua cultura, suas terras e suas esperanças. Negras e negros cotidianamente sofrem com a herança escravagista", exemplifica Laura.

Então por quê escolher o feminismo como filosofia de vida? Para uma mulher o feminismo é de extrema importância. Ele a liberta. As mulheres, atualmente, ao contrário do que muitos pensam, ainda sofrem por causa do machismo. E isto está mascarado no dia-a-dia das sociedades. Ele está escondido nas propagandas que mostram as mulheres como objetos. Está presente no padrão de beleza inalcançável criado pela mídia. Está claro nos salários, que estão 30% maiores para homens, mesmo que exercendo o mesmo cargo. Mas, o mais importante: ele está mais que presente no dia-a-dia de cada mulher.

Dentre todas as lutas, uma não anula a outra. Assim como Laura, diversas mulheres têm a necessidade de lutarem pelo feminismo. Assim como Laura, diversas mulheres já estão fartas de ter "dia após dia um poder legislativo que regula minha roupa e meu útero", de precisar "lidar com homens que acreditam fielmente que podem encostar no meu corpo quando bem entenderem", de escutar "cada vez mais pessoas que fazem planos sinceros para minha vida, sem ao menos perguntar o que acho". Mulheres que não vão mais tolerar serem caladas, oprimidas e inferiorizadas. Por tudo isso, o feminismo é uma das filosofias de vida na qual mais deve ganhar força e mais pessoas devem aderi-la, pois, afinal um mundo igualitário é uma luta extremamente digna.

No entanto, infelizmente, essa filosofia carrega inúmeros estereótipos equivocados e preconceituosos. O artigo "11 mentiras batidas sobre feminismo que precisam parar de ser repetidas" traz vários desses estereótipos. O autor Lucas Castilho, repórter de moda e beleza, traz onze estereótipos agravados pelo senso comum. São eles: feminismo é uma ditadura, divide as mulheres, é o contrário de machismo, só é bom para as mulheres, tem apenas um significado, toda feminista odeia os homens; para ser feminista é preciso ser ativista, para ser feminista você não pode deixar o homem pagar a conta ou abrir a porta do carro; donas de casa não podem ser feministas; passar maquiagem e usar roupas sensuais faz de você menos feminista; homens não podem ser feministas. Todas essas afirmações são estereótipos por generalizarem, definirem e limitarem o movimento, além de estarem equivocados. O senso comum faz com que as pessoas acreditem fielmente neles e já os conecte com a filosofia de vida "feminismo".

Então, é necessário analisá-los com base no senso crítico, isto é, sair do senso comum. Pegamos, por exemplo, as afirmações "feminismo só possui um significado" e "feminismo é uma ditadura". Segundo Lola Aronovich, professora do Departamento de Letras Estrangeiras na Universidade Federal do Ceará (UFC) e autora do blog Escreva Lola Escreva, "o que o feminismo não é é o que o senso comum muitas vezes diz: um bando de barangas mal amadas". O feminismo não é um livro de regras. O feminismo não quer dizer o que as pessoas devem ou não fazer. Aliás, muito pelo contrário, ele tem a intenção de as libertarem dessa obrigação imposta pela sociedade e pelo machismo.

Ao mesmo tempo, por não ser um livro de regras, o feminismo traz problematizações com suas diversas vertentes. A frase "homens não podem ser feministas", traz uma dessas discussões. Algumas acreditam que homens podem ser feministas. Outras acreditam que o protagonismo da luta é estritamente das mulheres, devido ao fato do homem não sofrer com o machismo e, pelo contrário, ser beneficiado por ele. Porém essa é apenas uma de várias problematizações dentro do feminismo.

O feminismo é apenas um exemplo de como uma filosofia de vida pode ser libertadora para quem a segue; de como os estereótipos e o senso comum são perigosos ao construir uma visão do mundo e de como o senso crítico é importante para o maior entendimento dos movimentos, das filosofias de vida e das sociedades.

Referências:
SOUZA, Laura Guedes de. Por quê ser feminista? Acesso em 10/03/2016



Luana Caran Roque tem 15 anos e mora em São Paulo, é feminista e pensa em ser médica no futuro.



Você tem menos de 18 anos? Tem vontade de escrever sobre o universo feminino? Se identifica com o Maggníficas? Então vem escrever no Maggnifiquinhas! Um espaço no bloguinho feito pra você! Mande seu texto, foto e mini bio para maggnificas@gmail.com ou nos dê um oi por lá que a gente retorna contando tudinho! 


Esse é um espaço para dar voz a meninas jovens. Não necessariamente é a opinião das blogueiras. O empoderamento também passa pela possibilidade de diálogo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com