Primeiro a ruim ou primeiro a boa?

escrito por Rosa


De início eu aviso: esse texto é pura cagação de regra. Assim, tirado de uma reflexão no bar, completado com um pouco de opinião da minha mãe (argumento de autoridade) só para pensar sobre algo absolutamente trivial em tempos de sérios problemas sociais. Um escape. Mas também um trabalho sobre a existência humana.

Com frequência, indaga a humanidade:
Tenho duas notícias, uma ruim e uma boa: qual você quer primeiro.

Eu sempre quero a ruim e odeio quando desrespeitam meu pedido e me dão primeiro a boa. Que absurdo! Respeite minha ansiedade. Os motivos pelos quais as pessoas pedem a ruim primeira variam.
Eu, pessoalmente, odeio esperar para saber o que vai ser de ruim.
Minha mãe diz que a boa costuma amenizar a dor da ruim.
Tem gente que é só pessimista mesmo e acha que as duas são ruins, logo... vamos para pior.

E tem quem prefira a boa. Porque talvez sejam hedonistas. Porque talvez se fortalecem com ela para aguentar a próxima. Porque aproveitam cada instante de felicidade. Ou, talvez ainda, porque sejam otimistas a ponto de achar que a outra talvez não seja tão ruim, então vamos para a melhor de todas para começar bem o momento.

É importante notar - nesse estudo sobre nada que vai a lugar nenhum - que notícias não se compensam: uma boa nunca dá conta da ruim. A ruim nunca acaba com a felicidade da boa.

Mas, sobretudo, nesse bobinho jogo de compensação diária, há uma coisa que diz muito sobre a vida: nada vai ser totalmente bom. Nem vai ser totalmente ruim. Ora ou outra, vamos sofrer. Vamos sorrir um bocado, também.

A ordem em que isso acontece é irrelevante, no fim.
E eu tenho uma notícia boa e uma ruim pra te contar.

A ruim é que não temos força nenhuma para mudar o que vai acontecer, na maioria massacrante das vezes.

A boa é essa também.

rir é com a gente mesmo..



Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com