Rimas para uma quinta desritmada

escrito por Rosa


A gente se acostuma com negligência, com não-ditos, com cansaço. 
A gente acha que é normal descaso. 
Passa um tempo, e fica batido não lembrar dos dias, dos sorrisos. 
Quando se vê, se tem vazio sem motivo.
A gente devia querer se acostumar com carinho, com bom-dia, com vem aqui. 
A gente devia passar uns dias sem mentir.
A gente devia não ter vergonha de falar que gosta em meia-hora de carinho.
A gente não tinha nunca que almoçar sozinho. 
A gente não devia achar indiferença uma coisa prática e nem distribuir má-vontade.
A gente devia assumir saudade.
A gente tinha que entender que não tem problema se faz pouco tempo, se não faz tempo nenhum, se ninguém entende. 
A gente tinha que vomitar o que sente.
A gente (meus deus, como eu devia) tinha que parar de escrever e ligar contando a verdade, mesmo se for tristeza. Gritar pro mundo não devia ser fraqueza
A gente devia dizer que aquilo machuca, que aquilo-outro entristece. 
A gente devia ajudar quando desse. A gente devia querer ser amigo, abrigo, irmão. 
A gente não devia esperar tanto não. 
A gente deveria gostar de paixão, de se doar. 
A gente devia ser mais gente, só pra variar.


O beijo, do Klimt


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com