A namorada gorda do menino magro

escrito por Rosa


Sempre gostei dos magrelos, desde o início da adolescência, quando a gente começa a se apaixonar pelo famoso (no meu caso, Gabriel, o pensador - magrelo) ou pelo professor rockeiro (magrelo), até os primeiros beijinhos (sempre magrelos, magrelos e magrelos). Gosto também de barba e de carinha de nerd (mas isso fica para outro dia). Por algum tempo não pensava sobre gostar de magrelo e, consequentemente, relacionar-me com eles. Um dia, conversando sobre esse gosto pessoal, uma - na época amiga - me disse que até achava bonito, mas gostava de homem que fosse maior do que ela, senão ela ficava com vergonha. Ela, que era mais magra do que eu, fez eu pensar pela primeira vez sobre isso. Pera: existe uma proporção de tamanho físico que permita que haja ou não um relacionamento?

Existe. Na cabeça dos machistas e preconceituosos espalhados por aí, existe.

Mulher tem que ser menor, porque é objeto de proteção do homem. Mulher precisa comer menos que o homem (atente-se que as porções que os garçons servem sempre são menores pra gente do que pra machaiada). Mulher não pode ser forte. Nem grande. Menos ainda, gorda.

Se o padrão estético existe e é cruel, pra gente ele vira uma fobia social, perseguidora e massacrante.

E aí, mesmo que o seu namorado magrelo venere seu quadril largo, as pessoas acham um absurdo um homem que não daria conta de carregar a namorada no colo (isto a despeito do fato de que eu não pretendo ser carregada no colo e, se pretendesse, então só me sobrariam os halterofilistas).

Se a proteção é parte importante do relacionamento, que ela seja feita pelo carinho e pelo gesto de amor - e de ambas as partes. E se parecer que não combina - como se a gente fosse peça de tetris para 'encaixar' uma na outra - olha bem, mas olha bem mesmo, porque o que faz a gente combinar é a vontade de estar junto.

Eu e meu namorado magro




Que é tão companheiro que esteve comigo no FWPS desse ano. As fotos são d'A Casa Retrato.




5 comentários:

  1. Seu magrelo é muito estiloso! rs
    eu tb sou maior (na altura, pq ele tb é gordinho) que meu esposo, mas ele ama meu quadril (este sim mais largo q ele). E viva a diversidade!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A diversidade, ao lado do amor, são as melhores coisas desse mundo <3
      e ele é lindo, néé? <3 <3
      obrigada pelo comentário!

      Excluir
  2. Adorei seu artigo, Marcella! Eu sofro esse preconceito na pele! Meu marido é magro, engordou um pouquinho, mas continua magro e sempre será assim, é seu biotipo. E nunca ninguém me disse diretamente, mas percebo os olhares, os comportamentos de colegas de trabalho, conhecidos, na rua, etc... Todos pensam que ele não combina comigo e deveria ter se casado com uma mulher magra. Difícil! Tenho superado isso há muitos anos, mas não é nada fácil!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fácil não é mesmo. Mas a gente pode fazer isso juntas :D Tô contigo!!!!

      Excluir
  3. Mas nem gorda vc é. queria ser gorda igual vc. rsrs. rosto de boneca, amei seu sorriso e vcs combinam absurdamente bem.

    ResponderExcluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com