Forever21: o purgatório disfarçado de paraíso, com pitada de inferno

escrito por Maggníficas


Eu não sabia o que era a Forever21 até o dia que ouvi, na rádio meia-boca que escuto, indo ao trabalho, que abriria uma unidade da “loja-mais-esperada-no-Brasil” em Campinas. Houve notícias, filas, desesperos, brindes. Parece que a galera ficou mais de oito horas para conseguir entrar na loja e, acaso você vá no final de semana conhecê-la, você pode levar cerca de 1h para conseguir usar o provador. Eu não arrisquei ver essa fila, e fui em plena segunda-feira, semanas depois do lançamento. A loja é a maior do Brasil (no total, são 15 unidades) e a primeira de Campinas. Quando eu entrei, ouvi sinos tocarem. Era tudo muito bonito.


A entrada

A primeira impressão que a gente tem é que tudo é lindo, maravilhoso e barato. Acho que a loja monta bem o look dos manequins e a minha experiência com as vendedoras foi ótima. Essa resenha se resume às roupas, porque eu não fui capaz de dar conta de ver as roupas, acessórios e a parte de pijama no mesmo dia. Se eu tiver tempo para isso, faço outro texto. 

Eu tenho um corpo complicado para comprar roupa, porque da cintura para cima sou bem menor do que da cintura para baixo (o tipo de corpo Pêra, a Carol já ensinou sobre isso aqui). Em geral, sou pequena demais para peças plus e grande demais para peças não-plus. E aí? E aí que foi isso mesmo que me aconteceu: tudo do plus ficou enorme em mim, e quase nada do tamanho convencional me serviu. As poucas peças que comprei foram o achado em muitas que eu experimentei. Na realidade, se eu quisesse gastar a alma em camisas teria trazido umas 10 – todas serviram no G. Mas o dinheiro era bem menor que a vontade. Uma coisa que gostei muito foi do provador, imenso e iluminado e que mistura meninos e meninas. Achei demais porque meu boy é um cara de bom gosto e me ajudou muito nas escolhas. Olha a gente no provador:


Esse vestido lindo ficou muito curto em mim – tenho 1,73m – se eu abaixasse, minha calcinha seria a nova exposição de arte moderna. O boy ficou lindo nessa camisa e nessa calça. Dei a camisa de presente pra ele.

As peças da área plus não são as mesmas da área convencional. Então, se gostasse de algo não rolava procurar o seu tamanho. Isso foi triste com as bermudinhas. Apaixonei numa jeans que só tinha até o 44. E as que eu me apaixonei do plus começavam no 3g que corresponde, pelo que entendi, ao 52. E eu, com meu 46. Fiquei desolada.


Área plus

Short que eu mais queria e não tinha meu tamanho.

Nem tudo é barato, se você pensar na relação qualidade da peça e preço. Mas tudo é muito estiloso, foi difícil achar peças totalmente sem graças ou esquisitas demais. Difícil, mas não impossível.


Ainda tentando entender porque vender isso.

E por esse valor!

Mas... vamos ver o que de fato eu comprei?

Comprei esse short GG (área plus) totalmente navy/pin-up, que é um estilo que uso muito; e essa camisa-cropped linda de meu deus, florida, fundo vermelho, apenas amor a primeira vista. Juntei ambos na foto – ainda nem sei se deu bom – mas depois posso montar looks com eles. Veja só que belezinha.


Amor total

No detalhe

De costinhas

O short custou 59.90 e a camisa 49.90. Outra paixão-preciso-disso-para-viver foi essa blusinha de morangos. Como ficou over demais com o short, peguei essa saia linda que comprei na Adoroetc e que já apareceu em um look por aqui. 


Strawberry fields forever

De costinhas

Disse a vocês que meu boy é o senhor bom gosto, né? Pois é. Ele me arrumou, na ala masculina, esse casaco total amor. Eu perdi a etiqueta mas ele me custou por volta de 150/160 reais. É um P masculino, super quentinho. Moletom por dentro, falso couro por fora; no estilo teenager americano. Amei super.






Bom, quero voltar lá. É bom, é lindo, da vontade de ter tudo. Mas precisa ficar de olho para não errar com a qualidade das roupas. E moças grandes como eu: menos sede ao pote, o tamanho pode te decepcionar, porque é confuso e irregular. Afora isso: brilhe muito!


Já conhece nossa Fan PageTwitter e Instagram? Acompanhe nossas redes sociais!

Marcella Rosa é formada em Letras, mestre em Crítica Literária e, porque não tem juízo, cursa atualmente graduação em filosofia e doutorado em História da Literatura. Gosta de gente, de qualquer forma, por isso, é apaixonada pela sala de aula e por escrever sobre pessoas. Não gosta de biografias em terceira pessoa, mas faz. Gosta de livros, mas não faz. Prefere sempre a troca: de figurinha, de fluidos ou de experiência.


Um comentário:

  1. Adoreii suas comprinhas
    estou para ir numa loja da forever 21
    o preço aqui vai no gogó né, pq nos EUA é super barato.
    beijoos

    http://manguitarosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com