Eu fiz bariátrica!

escrito por Carol Caran


Olá pessoal,



Pra vocês, que me seguem há quase quatro anos, leitores, blogueiras, amigas, unidos em razão de uma característica em comum que é estar acima do peso considerado ideal e não pertencer à uma padrão de beleza convencionado, eu vim contar sobre minha mais recente e radical experiência: eu fiz cirurgia bariátrica. 

Como tenho um amplo e irrestrito respeito por quem perde minutos do seu precioso tempo pra ler o que escrevo, quero compartilhar essa fase, me "justificar" e responder à perguntas que prevejo que surgirão (uma vez que já surgiram fora do mundo virtual). 

Como? Quando? Onde? Por quem?

No dia do meu aniversário de 34 anos (11/06) passei pela cirurgia em Ribeirão Preto, com a equipe do Dr. Guilherme Viana Rosa, por videolaparoscopia. Deu tudo certo, tive alta em dois dias e estou super bem até agora. 

Mas assim, de repente?

Não, não foi de repente. Eu recebi a indicação dos médicos e passei a considerar o assunto ainda antes de engravidar. Depois que meu filho nasceu, em julho do ano passado, eu iniciei o protocolo exigido para saber se eu era uma possível candidata ao procedimento. Eu percorri quase todos os passos até novembro, quando desisti de fazer pela segunda vez. 

Nessa ocasião eu decidi fazer uma tentativa séria de emagrecer por conta própria que vocês acompanharam. Emagreci quase 15 quilos, mas recuperei metade deles rapidamente em um ou dois meses de vida mais agitada. 

Então, novamente, em abril, depois de muita discussão e aconselhamento de médicos e familiares e muito apoio do maridão, retomei o protocolo e faltava muito pouca coisa pra fazer. O plano autorizou a cirurgia no dia 06 e eu operei no dia 11. Foi mais de um ano de reflexão, exames, testes, acompanhamento médico e psicológico. 

Mas por que não contou a ninguém?

Eu não estava escondendo nada, mas tenho por hábito não "anunciar" meus planos aos quatro ventos, depois de muita cabeçada nessa vida. Além disso, não contei antes pra todo mundo por considerar um assunto da minha esfera privada, por ter muitas dúvidas a respeito, por não estar segura até o último momento, por envolver aspectos fora do meu controle (sou apta? o plano vai autorizar?), por ter medo de morrer e deixar meu filho órfão, por estar muito surtada e estressada com o assunto.

E quando eu finalmente me toquei que ia rolar de verdade, o tempo entre a autorização do plano e a cirurgia foi muito curto e eu usei para organizar o que precisava e surtar mais um pouco. Não estava me sentindo muito comunicativa. Apenas as pessoas com quem convivo na base diária estavam por dentro.  

Por quê você fez?

Eu não vou desfiar um rosário de motivos aqui, pra quem me quer mal ou não se importa ler, especialmente os relacionados aos problemas de saúde que eu tenho ou não tenho. Pra quem tiver dúvidas genuínas estarei à disposição pra falar.

Mas em resumo, operei principalmente por querer ter outra gravidez, por não poder tê-la sendo obesa, considerando tudo que passei no meu parto e na gestação, por ter 34 anos e ser cada dia mais difícil e sofrido manter meu peso, minha saúde, meu pique, minha energia. Por ter fracassado em todas as minhas tentativas de sair ao menos dos graus de obesidade mais sérios. Por ter que trabalhar, cuidar de casa, de filho, ser esposa e mulher e não estar me sentindo bem pra isso.

Ah, você fez pela aparência!

Claro que eu busco ser bela. Eu uso maquiagem, eu gosto de roupas bonitas, eu coloco salto alto pra ser mais bonita e não mais saudável. Mas eu sempre fui gorda de boa, do contrário você não veria um milhão de fotos minhas por todo lado, pagando de gordinha fashion e gostosa por aí.

Eu também nunca escondi de ninguém que desejava emagrecer ao menos pro peso que eu tinha quando comecei o blog. Eu aprendi a aceitar e amar meu corpo. Mas eu não me submeteria a qualquer procedimento que me colocasse em risco e consequentemente, a vida e o bem estar de quem depende de mim, por vaidade. Ponto. 

Você não parecia tão gorda.

No dia que dei entrada no hospital meu IMC era 40,5. Se eu parecia menos gorda (não pra todos) era principalmente por saber me vestir focando nos meus pontos fortes e por saber fotografar. E uma prova que as dicas do blog funcionam! rs

Você vai deixar de ser plus size/maggníficas?

O blog foi criado por mim junto com a Dani e vai existir enquanto UMA pessoa quiser me ler. Minha irmã é uma pessoa magra e tem a estrutura óssea parecida com a minha. Pra chegar no peso dela eu tenho que emagrecer 55 quilos. Não sei nem se isso é possível. Com 40 quilos a menos eu ainda sou bem cheinha. Vou ser menos gorda. Mas não sei se serei magra.

Também não sei o que vai ser de mim em um ano, dois ou cinco. Alguns pacientes ficam magérrimos, outros ficam semi gordos, outros continuam gordos. Minha intenção é malhar bastante pra não perder massa magra e ficar curvilínea. Não sei qual o tamanho disso. 

Sei que a maioria das leitoras acha que o plus size começa no 48 (foi nossa resposta da enquete que fizemos ano passado), mas a Marina e a Alinne já usam 46. Considerando minha vida inteira, imagino que continuarei a fazer moda pra quem não tem porte de modelo fashion. E minha pança... Ah, essa só some na faca! rs 

Como foi? Como está sendo? Quanto já emagreceu?

Se vocês curtirem e quiserem, posso fazer postagens mensais sobre o primeiro ano pós cirurgia. Sei que muitas leitoras pensam nela por várias razões e talvez seja legal ter mais uma opinião. 

Você recomenda?

Minha única recomendação é a de sempre: ame-se, cuide-se, aceite-se e a beleza é consequência. Como você vai fazer isso - emagrecendo, se aceitando gorda, mudando ou não - tem que ser uma decisão íntima e tomada com muito carinho e convicção, com o apoio das pessoas que são próximas a você. 

Então, é isso. Eu espero sinceramente receber mais apoios do que críticas, já que não sou tão evoluída ao ponto de não ligar pro que pensam. Confesso que vou me sentir triste se me acusarem de traidora do movimento ou outras acusação, como sei que já rolou. Mas, felizmente, a grande maioria das pessoas me apoia e torcem genuinamente por mim.

Sei que muitas vezes não importa o que você faça, as pessoas tem uma ideia pré-concebida a seu respeito e ela é normalmente negativa. Mas eu sei o caminho que percorri e os motivos da minha escolha e não me envergonho delas.

Então, beijos a todas e sejamos felizes!

Carol

Dúvidas, questões e sugestões: contem aqui, no Instagram ou na Fan Page do Blog!
Se preferir, me mande um e-mail no maggnificas@gmail.com.

Fotos: Camila Riberto Ramos e Carol Bigoni















14 comentários:

  1. Amiga, eu te apoio e sempre te apoiei.
    Agradeço todos os dias por Deus te-la colocado em meu caminho.
    Com você aprendi a me vestir, perdi a vergonha de comprar sapatos, aprendi a comprar tudo pela internet e aprendi a melhor das suas qualidades: demonstrar afeto e amor pelos amigos.
    Minha vida se divide em antes e depois de Carol Caran!
    Só tenho a te dizer que vc é um mar de amor e carinho, que mesmo de longe eu consigo sentir em cada post, em cada whatsapp que recebo de você.
    Desejo do fundo do meu coração (agora muito mais desinibido, graças a vc!) que você se realize ainda mais em todos os aspectos.
    Que vc seja sempre a minha inteligentíssima "Jane Bingum" agora com o corpinho da "Déb"!!
    Que Deus te dê serenidade para enfrentar esse novo caminho, e que nessa caminhada você possa iluminar (ainda mais) o mundo com esse amor imenso que mora dentro de vc.
    Amo você. Seja qual for seu manequim!
    Alline Herrera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga querida, você sabe o quanto eu sou chorona. Depois dessas, foi um mar de lágrimas. Quero que saiba que é fantástico ler isso, mas eu sei que não fiz nada, a não ser enxergar toda a beleza, carinho, carisma, que SEMPRE esteve aí. Você é e sempre foi belíssima, moça do cabelo de princesa, e tem mais que se desinibir MESMO. E vai arrasar em cada aspecto da sua vida! Obrigada por todo apoio, você sabe o quanto é importante! Sinto saudades todos os dias! Xilósio!!!!!!!

      Excluir
  2. Que Deus abençoe essa nova fase, que pelo o q leio não é fácil, mais se foi uma decisão bem pensada, td vai dar certo sim.. E é claro q gostaria de ler a respeito da sua evolução.. Força ai...

    Bjo

    Nádia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nádia, muitíssimo obrigada pelo apoio! Realmente, é uma mudança GIGANTE, que estou tentando encarar como um renascimento. Vou escrever sobre tudo! Beijos enormes!

      Carol

      Excluir
  3. O importante é ser feliz, gorda ou magra. Bjão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carola, tem razão. O importante é achar o que nos faz felizes!!!! Beijos e obrigada pelo carinho!

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Estou aguardando a liberação do Plano, mas tb morro de medo, pois tenho uma filha de 17 anos deficiente e uma de 1 aninho e não posso deixá-las sozinhas ainda! Conte mais detalhes de como foi é de como está sendo essa sua nova fase, vai ser bom não só p mim, mas talvez p outras meninas que gostaríam de fazer tb! Beijocas e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Val, entendo perfeitamente seu medo. O que eu fiz foi cumprir RIGOROSAMENTE todas as regras do pré e pós operatório. Não saí um dedinho da linha! rs Vou escrever um post essa semana contando tudo! Beijooooooo e obrigada pelo apoio!

      Excluir
    2. Vou aguardar ansiosamente!!!

      Excluir
  6. Val, eu entendo perfeitamente! O que eu fiz foi seguir RIGOROSAMENTE o protocolo pré e pós cirúrgico. Essa semana ainda vou escrever um post contando como foi! Beijos e obrigada pelo apoio!!!

    ResponderExcluir
  7. Boa sorte. Por mais que a gente queira se sentir bem na própria pele de gordinha, as vezes não dá, e só isso não basta. A questão da saúde é primordial.. Sem falar que, honestamente, no final das contas, obesidade é sofrimento. Puro e simples.

    ResponderExcluir
  8. Oi Carol, boa sorte nesta caminhada!!!
    Acho que quando decidimos alguma coisa é pq é o melhor que temos a fazer, como vc sempre diz, temos que ser felizes com aquilo que pensamos, independente de ser gorda ou magra.
    Eu tenho ossos grandes, sou larga, um mulherão, ah e estou acima do peso. No momento estou fazendo uma reeducação alimentar e oh processo difícil. Estou fazendo, claro (estaria sendo hipócrita em dizer o contrário), pra ficar mais bonita, mas também pela saúde. Gostaria que vc postasse sim sobre seu dia a dia pós-cirurgia, pois sei que terá que ser de uma alimentação super balanceada. E isso é um estímulo acho que não só pra vc, mas pra gente tb.
    bjnhs e fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rosiane! Antes de tudo, muito obrigada pelo apoio. Não imagina o quanto é importante pra mim. No mais, fique firme, que fazer RA não é pra qualquer um não! rs è uma briga diária entre nossa tendência a engordar e nosso prazer em, comer. Logo logo teremos mais posts sobre a cirurgia (já tem um novo, viu?) e teremos a colaboração de uma nutri que tem uma visão muito legal do emagrecimento! Beijos!

      Excluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com