Viajando: Iporanga/SP

escrito por Marina Sena


Iporanga é uma cidade no sul do estado de São Paulo, já nas proximidades de Curitiba, considerada uma das maiores concentrações de cavernas do país.

Porta de entrada do Petar, Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira, é reconhecida internacionalmente por permitir explorar cavernas formadas há milhões de anos! Uma caverna é totalmente diferente da outra, com rio e cachoeira subterrânea, sendo que algumas das formações são únicas no mundo.





O Petar está localizado na região do Vale do Ribeira, a 340 km da capital paulista e a 185 km da capital paranaense. Reúne áreas dos municípios de Apiaí, Guapiara e Iporanga. O Parque é dividido em quatro núcleos e seus maiores atrativos são as cavernas e cachoeiras. 400 cavernas são abrigadas no Parque, sendo uma delas a Casa de Pedra com um portal de 215 metros de altura, considerado o maior do mundo.

Quem gosta de se aventurar em trilhas, cachoeiras e cavernas, esse é o destino certo, mais que perfeito! É um lugar fascinante e incrível!







Pra entrar no Parque são R$9/pessoa e o estacionamento custa R$6. É necessário que um guia acompanhe o grupo. Contratamos um guia em uma agência de turismo da cidade para ficar conosco durante três dias e custou R$50/pessoa/dia.

Ficamos na Gamboa Eco Refúgio e eu super recomendo! Bom atendimento, comida bem gostosa e muito bem localizada.





Depois que machuquei um dos braços, não conseguia levantá-lo e as meninas foram solidárias comigo na minha pose ♥



Dicas:
- Leve dinheiro: poucos lugares aceitam cartões e na cidade há um lugar para tirar dinheiro que funciona até às 17h, mas todos os dias saímos as 8h e voltávamos após esse horário;
- Para entrar no parque é necessário estar com camiseta/blusa com manga e calça/legging que cubra o tornozelo. Eu só levei legging curta e fui obrigada a dar um jeito... Conseguimos entrar em um dos dias com regata sem ninguém falar nada, mas é bom não arriscar;

Em um dia com regata, mas com a meia que comprei no mercado pra cobrir o tornozelo rs

- O ideal é ficar por lá pelo menos 3 dias inteiros, e considerem um dia pra ir e um pra voltar (gastamos 6h pra chegar lá e 8h pra voltar);
- Tomem muito cuidado nas cavernas, são bem escorregadias e os tombos são frequentes (eu mesma caí várias vezes e cheguei a machucar o braço esquerdo... E ainda sinto uma dorzinha de vez em quando!);
- Se forem no boia cross, usem capacete e colete salva vidas, por favor! Estávamos tão empolgadas que fomos com a cara e a coragem, mas caímos diversas vezes e só depois percebemos a loucura que fizemos. As pedras machucam, saímos raladas e com alguns roxos, mas todas bem felizes!

Parece tranquilo...


Sobrevivemos

Fiquei tão empolgada em escrever sobre esse lugar pra vocês que posso ter esquecido de mencionar algo! Qualquer dúvida escrevam nos comentários ou mandem um e-mail para nós, tá?

Beijo beijo!


4 comentários:

  1. Gente, como você é corajosa!!! Acho que eu ia morrer de medo de entrar nessas cavernas. Adorei a dica! Beijos! Lana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lana, que bom que gostou!
      As cavernas são bem bonitas e muito interessantes! O único perigo mesmo são os escorregões rsrs
      Beijos!

      Excluir
  2. Que lugar!!!
    Nunca tinha sequer ouvido falar!!
    Amei as fotos!!
    Amei a dica!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, pessoa!
      O Petar é um lugar que vale a pena conhecer!
      Que bom que gostou!
      Beijo

      Excluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com