Fotógrafa gorda registra olhares que recebe nas ruas

escrito por Marina Sena



A americana Haley Morris-Cafiero reuniu 25 painéis onde aparece nas ruas de Memphis, Chicago, Nova York, Barcelona e Cusco fazendo coisas rotineiras: olhando vitrines, conferindo mapas, tomando sorvete. O destaque, porém, é a reação das pessoas ao corpo dela. Isso resultou num projeto com várias imagens, em que ela ao mesmo tempo se mostra e registra também a reação das pessoas ao vê-la na rua.

'Champion Ship', foto feita em Cusco, no Peru, que integra o projeto 'Wait Watchers'

'Titan', foto feita em Nova York, mostra a fotógrafa Haley Morris-Cafiero sendo observada na rua

'Mapa', foto feita em Nova York em 2011

'Gelato', foto feita em Barcelona por Haley Morris-Cafiero, com ela em primeiro plano

A série "Wait Watchers" (jogo com a grafia e o som das palavras peso -weight- e espera -wait) existe há 4 anos e uma de suas leituras pode ser “observadores do peso”. Ela conta que o projeto começou por acaso: “Eu estava fazendo autorretratos em que me posicionava em locais que me faziam consciente de meu peso, como restaurantes ou supermercados. Montei um autorretrato em uma escadaria na Times Square e, quando revelei a imagem, notei que um homem zombava de mim às minhas costas. Apesar de ele estar sendo fotografado por uma bela loira, olhava para mim. Essa imagem virou 'O Anonimato Não É para Todos'. Foi em março de 2010”.

'O Anonimato Não É para Todos'
Essa série é uma espécie de continuação de um trabalho anterior, "Something to Weight" (alguma coisa a pesar), em que ela se fotografava em lugares que a lembrassem do seu peso. “Eu uso a mim mesma nas imagens porque acredito que não posso transferir para outros as lutas internas e externas de meu corpo. Acredito que minhas questões pessoais sejam universais e acho que posso passar melhor a minha mensagem usando meu próprio corpo e não dirigindo uma modelo”, diz.

"Wait Watchers" é uma obra aberta. A fotógrafa viaja o máximo que pode para poder capturar várias pessoas de origens diferentes. Em julho vai fotografar em Berlim e Praga e o Brasil está nos planos dela, mas a viagem ainda depende de recursos.
Como vocês acham que serão as imagens da visão que os brasileiros terão dela?

Fonte: Folha (clique para ver a matéria completa)


3 comentários:

  1. Acredito que a imagem que o brasileiro terá dela será ainda pior... No "país do carnaval, o gordo sofre muito mais preconceito do que qualquer outra pessoa que seja minimamente diferente do "padrão". Triste, mas ainda verdadeiro.

    ResponderExcluir
  2. Uma triste realidade. Achei o trabalho muito interessante.
    Beijinhos grandes.

    ResponderExcluir
  3. Oi gente isso que ela esta passando e fotos eu estou vivendo no meu dia a dia, deboches, +gargalhadas de grupos, estou tentando devagar sem dietas loucas, reduzir meu peso. Ana e como vc falou no Brasil o preconceito esta pior, mas o consolo , existem pessoas boas que elevam nosso astral, assim como vcs.
    bjs do ♥
    www.adrythamy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com