Na cama com Ashley Madison

escrito por Maggníficas




Eu resolvi falar sobre um assunto espinhoso dessa vez: infidelidade. Por que eu fui me meter nesse assunto? Simples, o site Ashley Madison está crescendo por aqui. O empresário Eduardo Borges comanda o Ashleymadison.com, o maior site de relacionamentos extraconjugais do Brasil. O slogan é ótimo: a vida é curta. Curta um caso. O site canadense surgiu em 2002 e já está presente em 24 países, com um batalhão de 18 milhões de infiéis. Um milhão de brasileiros casados e traidores já ingressaram no site. O negócio se mostrou rentável mesmo. Os homens cadastrados são maioria, mas as mulheres não ficam tão distantes. Entre elas, 33% são solteiras que buscam aventuras com casados. Nunca entendi o fascínio delas por homens comprometidos. Se eles traíram as esposas pra ficar com elas, então significa que elas podem ser traídas também. Outro dado curioso é que as cariocas do signo de gêmeos são maioria entre as cadastradas. Oi? Bem, não acredito em signos mas depois dessa vou rever os meus conceitos!

Eduardo, “o vendedor de infidelidade”, disse que uma traição pode salvar o casamento. Sem o parceiro descobrir, entenda-se! A proposta do site é de que pode dar um toque apimentado ao relacionamento. Talvez sim, até porque os motivos da traição são bem claros: homens procuram novas aventuras sexuais, novas parceiras; mulheres, por sua vez, buscam parceiros mais atenciosos e compreensíveis. A traição delas é mais fácil de entender – aceitar, já é outra história – porque, no fundo, elas querem reconquistar aquela atenção que foi deixada para trás pelo próprio parceiro. O problema é que muitos homens se acomodam durante o casamento e incorrem no grande equívoco de que mulher só se conquista uma vez, quando, na verdade, são todos os dias. Quem disse que era fácil? Não quero aqui justificar a traição, dizendo que é cool e ótima maneira de fugir da rotina. Mas, cá entre nós, muitos parecem pedir uma bela galhada na cabeça hein?

Diz-se que o homem teme que a parceira faça sexo com o outro enquanto a mulher nem quer pensar na possibilidade de o parceiro se apaixonar pela outra. Pois é, amor e sexo têm medidas diferentes para os dois. Em minha opinião, o Ashley Madison pode sim provocar um laço afetivo no casal que procura sexo casual. Pra evitar isso, não seria mais prático um infiel procurar uma profissional do sexo? Desse jeito, as chances de se envolver emocionalmente seriam mínimas. Aliás, uma pergunta explosiva: qual a traição que dói mais? O parceiro que pula a cerca e busca a amiga, uma desconhecida ou garota de programa? Sei que muitas vão responder que traição é horrível de qualquer jeito mas eu acho que existem significados diferentes para cada uma dessas. O próprio Eduardo Borges não sabe se perdoaria uma traição. Nem eu. Pra perdoar, é preciso muito amor – e isso, o Ashley Madison não vende.

Fonte: http://tinyurl.com/bnsxp5j
Por Ricardo Allexxandhry


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com