Compulsão Alimentar: Tratamento

escrito por Daniele Santos


Já vimos o que é, as causas e como se detecta, mas como tratar esse problema?

Ter força de vontade pode não ser o suficiente para se livrar da compulsão alimentar você terá de fazer um esforço muito maior para conseguir bons resultados. A compulsão alimentar depende da pessoa buscar o problema e a cura dentro de si, o que não é fácil de conseguir sozinho.!

Um grande número de pacientes encara a comida como a maior fonte de conforto diante das dificuldades da vida. É preciso aprender um novo jeito de lidar com a vida e trazer a saciedade de volta para eliminar a compulsão alimentar.

Quando você ingere um alimento que gosta seu cérebro registra a experiência como algo prazeroso. Então, toda vez que se depara com uma situação estressante, ele recupera essa sensação e pede mais alimentos. Só que essa é uma solução provisória e viciante! A dependência pode não ser diária, mas já caracteriza uma percepção de que comida é recompensa para qualquer sensação ruim.

Identifique o ciclo que faz vê comer sem parar


No caso de doenças crônicas e psiquiátricas, e assim como noutras desordens alimentares (ex: anorexia e bulimia), na compulsão alimentar raramente se fala em cura, mas esse problema pode ser superado com o tratamento apropriado. Aproximadamente 80% dos que procuram ajuda profissional ou melhoram completamente, ou têm redução significativa dos sintomas.

Há uma variedade de opções de tratamento que podem ser combinadas de acordo com as necessidades específicas do paciente. As opções de tratamento para o transtorno de compulsão alimentar incluem terapia (individual ou familiar) visando alterar os comportamentos alimentares, frequência de grupos de apoio ou terapia de grupo, aconselhamento médico e planejamento nutricional.

Os cuidados são comportamentais, com mudança de estilo de vida, reeducação alimentar e prática de exercícios (que saco, sempre ela)

Médicos aconselham a atividade física (erg!) pois os exercícios diminuem os níveis de depressão e ansiedade, com a liberação de endorfina, hormônio que dá sensação de prazer e substitui a serotonina liberada pela comida, cujo efeito é semelhante (espero chegar lá algum dia!). Além disso, quem pratica exercícios queima mais calorias e tende a comer menos gordura, o que facilita o controle de peso e melhora o funcionamento intestinal, contribuindo de forma ampla para o tratamento do problema.

Habitualmente, não são administrados medicamentos para tratar o transtorno de ingestão compulsiva, apesar de poderem ser usados supressores de apetite com controle médico e alguns medicamentos, como anti-depressivos, para o tratamento de condições associadas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com