O dia que me descobri MaGGnífica - por Daniele Kamliot

escrito por Daniele Santos


Ai ai... que missão essas meninas me deram...

Encontrar UM dia... O dia que me descobri realmente MaGGnifica!!

Já vou começar falando que isso será uma missão impossível! Esse dia não existiu pra mim... Estou uma pessoa um pouco inconstante e minha auto estima, sobretudo atualmente, não é das maiores!! 


Então você deve me perguntar:
“O que você faz aqui nesse blog?”
“Tudo o que você já escreveu era balela?”

E eu te respondo:
Não!! Não retiro uma palavra do que disse: Me acho muito linda, sim!! Sou linda e gostosa!


Mas não sou perfeita... Claro, ninguém é! 
Quase tudo que eu já falei no blog tem a ver com moda e beleza, mas não é isso que move uma vida! 
O problema que eu vejo não é em relação a peso nem a beleza em geral. A vida tem diversas facetas: relacionamentos familiares e amorosos, carreira, casa, saúde, ...


Tenho um problema grave! Sou meio megalomaníaca e egocêntrica, quero tudo perfeito e acho q todos os problemas e soluções do mundo poderiam começar comigo (ok...exagerei) e como isso não é possível, acabo me boicotando já no início.
Com essa mania terrível de aumentar os problemas eu me descobri uma verdadeira MaGGnífica no dia em que consegui expurgar um problema da minha vida! Ou melhor, quando eu perdi a ideia de que emagrecer seria a solução para todos os problemas do mundo (ok... exagerei de novo).


Esse processo foi lento e não sei exatamente quando aconteceu... Vou tentar explicar mais ou menos o que houve.

Fiz uma dieta e fiquei bem magra! 
Poucos meses depois de entrar no processo de manutenção do peso comecei a viver os 3 três anos mais tristes e atribulados da minha vida!!! Não eram problemas que eu tivesse culpa e por mais que eu quisesse não poderia resolver, somente amenizar...
O destino me pregou uma bela peça para provar que a magreza não era a condição da felicidade.
A vida é muito complexa e colocar a culpa de todos os seus problemas em alguns quilos a mais não vai te ajudar em nada e só vai te decepcionar no dia em que você emagrecer e ver que o resto da sua vida continua na mesma ou, no meu caso, pior!


Voltando ao assunto, não sei que dia despertei para esse pensamento MaGGnífico (sei que estava com o maior peso que já tinha tido até então...) , mas ao tirar a enorme responsabilidade que o excesso de peso representava na minha vida tudo ficou muito mais leve!!

Os problemas foram diminuindo, a doença auto-imune que eu comecei a presentar no fim do período mais estressante (e que não conseguiu ser diagnosticada) foi se retirando e eu comecei a viver dias esporádicos em que me sentia extremamente feliz sem nenhum motivo relevante. 
Estava solteira, com as contas apertadas e, enquanto enfrentava o trânsito ao voltar do trabalho pra casa (de pé no ônibus) sentia uma coisa boa, uma vontade de sorrir, uma leveza tão gostosa que, de início achei que estava ficando maluca!


Mas não era nada disso... Eu estava me reerguendo!!

Comecei a pensar muito nessa felicidade e o que poderia estar gerando-a... Muitas vezes parei para refletir em frente ao espelho e enxerguei uma linda mulher na minha frente! Na verdade, o que eu descobri foi que eu não tinha mais motivos para ficar triste! Simples assim!


Uma vez li um email (lindo) que falava de uma senhorinha que disse que escolheu ser feliz! E é isso mesmo!

Muitas pessoas passam a vida invejando UMA coisa que a outra pessoa tem, sem perceber que ela mesma tem muitas outras coisas que a outra não tem!
Por exemplo: Uma pessoa pobre, que mora apertada num casebre com as 5 gerações da familia inveja uma pessoa rica em sua mansão . Por sua vez a rica, se sentindo solitária a inveja pela companhia constante que a pobre tem... Ok isso é um clichê, vamos a algo palpável

Quem nunca soltou um veneninho com frases do tipo: 
"Nossa! Como essa mulher estranha (ou feia, ou gorda, ou pobre) consegue namorar um homem como esses?!?!"

E essa é a resposta fundamental! 

Ela poderia ficar chorando as pitangas pelos cantos, viver invejando as modelos magérrimas, ou querendo roubar o cargo de sua chefe ou o marido da vizinha... Mas não!
Ela escolheu ser feliz e ir em busca de tudo que ela merece! Não cair aos pés das baboseiras que o "senso comum" fala e não se contentar com pouco! 
Ela é MaGGnífica!!!


6 comentários:

  1. eu adoro falar isso qdo eu não tenho mais nada a complementar:

    " clap clap clap.... onde eu assino?"

    ResponderExcluir
  2. Dani, vc é linda!
    Adorei ler seu post!

    ResponderExcluir
  3. Queria tanto ser vocês!!!rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Q lindo depoimento, meu amor! Bj

    ResponderExcluir
  5. Sabe que dia me descobri maggnifica? No dia que meu marido disse que queria passar o resto da vida dele comigo, simplismente porque era EU era,(logico perguntei o que eu era) ele disse:A pessoa que quero ouvir dizer que me amo quanto completarmos 60 anos de casados! aprendi nesse dia ter um lindo sorriso no rosto sempre nao importa o que me falem, so ouço o que eu quero! parabens adoro o blog!

    ResponderExcluir
  6. Magda,
    Seu dia parece um pouco com o da Alinne!
    http://www.maggnificas.com.br/2012/03/o-dia-em-que-me-senti-maggnifica-alinne.html

    Se você quiser contar em detalhes pra gente publicar acho que seria bem legal!!!! Se quiser envie para maggnificas@gmail.com

    Bjks
    Dani

    ResponderExcluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com