Assumindo seu lado MaGGnífico - Parte 1

escrito por Carol Caran


Pra muita gente ser magro é essencial. Por essencial, entenda-se, imprescindível pra ser feliz, aquilo que não pode faltar de jeito nenhum sob pena de gerar uma insatisfação insuportável. Não vou entrar no mérito das razões pelas quais as pessoas magras são consideradas mais bonitas (padrão imposto, culpa da mídia, etc., etc. e blá blá blá), mas o que não faz (mais) sentido pra mim é ficar "patinando" numa situação que provoca sofrimento.

Então tá, você definiu que ser magra é prioridade de vida, solução para todos os problemas. Se você emagrecer, vai ser mais feliz, ter mais amigos, comprar roupas bonitas e arrumar namorado. Ótimo, lindo, maravilhoso! Se você faz, de fato, algo pra atingir esse objetivo. Qualquer desculpa é mera... Desculpa! Algumas pessoas acordam as cinco da manhã pra correr, trocam a cerveja com a galera pela aula de pilates, ficam firme na dieta e não são atrizes da Globo.

Eu anunciei no Twitter semana passada: "Procuro uma mulher adulta que tenha emagrecido pelo menos 20 quilos, sem cirurgia e sem remédios e se mantido magra por 5 anos". Pois pessoalmente, eu não conseguia pensar em ninguém que tenha sido gorda de verdade e tenha conseguido esse feito sem ajuda. Muitos emagrecem, mas logo retornam à rotina de alimentação e acabam engordando tudo de novo. Outras pessoas, como eu, tentam por um tempo, não veem um resultado motivador e acabam desistindo. 

 Enfim, depois de receber um monte de "Essa é uma busca difícil", minha amiga Aninha me indicou o blog Meu Emagrecimento, de uma amiga dela, a Larissa, que emagreceu 43 quilos sem cirurgia ou remédios. Fiquei impressionada com o feito e então está aí, provado que pode ser realizado. 

Por que dizer isso num blog de moda para gordinhas? Falo pois não faz o menor sentido pagar de gordinha alto astral, mas no fundo se sentir inferior por estar acima do peso. Ou buscar ser modelo plus size pra poder ter um selo de qualidade que atesta "sou gorda mas sou bonita". Não adianta dizer "eu gosto de comer" mas querer sair com homens que valorizam a forma física aprovada pela maioria e se sentir a última das mulheres por ser rejeitada por eles. 


Ninguém disse que é fácil. Ninguém está alegando que um processo de emagrecimento seja algo leve e divertido, que só depende de "força de vontade" (aliás, eu tenho vontade de bater em quem fica repetindo isso). Fatores genéticos, ambientais, doenças, maus hábitos arraigados, transtornos emocionais, problemas pessoais e profissionais, todas essas coisas e mais algumas colaboram pra que você não apenas mantenha-se gorda, mas engorde ainda mais! E afinal, é mais fácil achar uma coxinha do que uma salada pra comprar, não é?

Mas eu aprendi às duras penas que coerência é a chave do sucesso. Se você realmente não consegue se aceitar gorda, saia agora da frente desse computador e vá fazer uma auto-avaliação: qual a razão  REAL pela qual eu não tomo uma atitude a respeito do meu excesso de peso? Quanto prazer me traz a comida e o sedentarismo que supere a satisfação de vestir um jeans 40 ou um bíquini sem vergonha?  Será que eu não tenho maturidade suficiente pra perceber que imediatismo é coisa de criança e que aprender a controlar os meus impulsos destrutivos vai me fazer crescer, também, em termos pessoais?  


Quase tudo na vida é resultado direto das nossas escolhas. Diariamente optamos milhares de vezes por coisas desagradáveis em prol de um bem maior: você vai trabalhar ao invés de ficar dormindo, faz faxina ao invés de ver televisão, limpa o cocô do cachorro ao invés de ignorá-lo, paga as contas ao invés de comprar um sapato... "Ah, mas eu sou obrigada a fazer tudo isso!" Pensando sinceramente, não é. Você apenas vai sofrer as consequências se não fizer.Vai perder o emprego, ficar com a casa suja, ter a internet cortada e pisar no cocô. Se você abriu mão de todos os prazeres imediatos, vai ter o retorno a longo prazo.

Faça sua escolha. Eu quero ser magra às custas de algum ou muito sacrifício? Ou você não acha que a provação vale a pena e afinal de contas, você é capaz de viver com os quilos a mais? Qualquer que seja sua resposta, faça uma opção e honre-a. O que não dá é ficar sonhando com o quadril da Kate Moss enquanto se entope de Coca-Cola.

Esse post é o primeiro de uma série de posts que vão abordar questões que eu, através de muita pesquisa e reflexão, percebi que são comuns a mulheres e homens que sofrem com a obesidade. Tudo isso pra no final, contribuir um pouco para que vocês, leitores, encontrem a paz enorme que é aceitar a si mesmo sem reservas e acabe, como nós quatro aqui, assumindo seu lado MaGGnífico. 

Se você tem uma história pra contar ou deseja compartilhar o seu problema ou sua solução conosco, nos escreva: maggnificas@gmail.com

Todas as fotos que ilustram esse post são das Angels da Victoria´s Secrets.



8 comentários:

  1. O que não dá é ficar sonhando com o quadril da Kate Moss enquanto se entope de Coca-Cola. Ou das junk-food dos shopping centers....rs...

    ResponderExcluir
  2. Vim aqui comentar só pra dizer que concordo com cada vírgula presente no texto.... arrasou. Não é preciso acrescentar nada.

    ResponderExcluir
  3. Agora Ribeirão Preto ganhou um local exclusivo para linkar e pesquisar por entre os blogs e blogueiros da cidade: o BLOGUERIA RIBEIRÃO PRETO.
    No Blogueria, você encontra uma lista completa de todos os blogs da cidade e no conteúdo deste, vai poder conferir entrevistas, novidades e conhecer um por um daqueles que fazem parte da listagem.
    Venha fazer parte deste universo! ENJOY! =)

    http://blogsribeiraopreto.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Carol amei o post... você conseguiu passar de uma maneira muito clara e divertida as alegria e tristezas das tentativas quase sempre frustantes do processos de emagrecimento.... é isso ai amiga!Beijos

    ResponderExcluir
  5. Carol vim por intermedio do Matheus, e estou amando seu blog, esse texto está maravilhoso, pois sei muito bem o que é isso, sofri muito com a obesidade da minha filha quando ela era pequena, o problema é que as pessoas acham que ser gorda é por que a pessoa come 24 horas por dia, e a coisa não é bem assim. Hoje, (com 28anos) ela aceita ser gordinha, fora dos padrões que a sociedade tanto prega, mas é feliz consigo mesma. Mas foi a custa de sofrimento e crescimento para ela entender que antes de tudo tinha que se amar primeiro. Adorei seu blog e parabéns pelo post, super esclarecedor. Beijinhos voltarei mais vezes

    ResponderExcluir
  6. É isso aí!

    Fingir q se aceita gorda mas sonhar com a calça 36 ou não se aceitar gorda e esperar acordar no dia seguinte com 40kg a menos num passe de mágica... Dá no mesmo!
    Alegria ou tristeza inventadas que não fazem ninguém feliz de verdade!

    Nos obrigamos tantas coisas que nem percebemos, por que não fazemos isso com as coisas que realmente dizemos ser importantes???

    Valeu mesmo Caran! Muita reflexão virá daí!

    ResponderExcluir
  7. Carolzinha......arrasou o seu post AMEI!!!!!

    ResponderExcluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com