E a ditadura da magreza continua...

escrito por Carol Viana


              É incrível como em pleno século 21 e após muitas modelos anoréxicas terem pago com suas próprias vidas o preço de ser ( mais do que simplesmente ) magra a qualquer custo, me deparo com uma capa de revista ( novamente a VEJA! ) mostrando uma mulher GOSTOSONA, sem barriga, pernas torneadas, seios, cintura, ao lado de sua figura visivelmente mais magra. E tudo isso para anunciar o quê? Mais um milagroso medicamento que promete a perda de peso sem efeitos colaterais.Ou sem tantos deles. Foto manipulada digitalmente? COM TODA CERTEZA DO MUNDO! Acontece que não é de hoje que mulheres comuns são levadas a acreditar que ser ESQUELÉTICA é que é legal.  Não quero nem entrar no nosso meio Plus Size. Recentemente a Caran postou sobre a  Jennifer Hudson e sua declaração de que se  orgulha mais de sua dieta do que de seus Oscars...

              Eu fui a primeira a comentar que não se deve condenar aquelas que estão acima do peso e tentam emagrecer ou conseguem.O que é condenável é estar sob essa lavagem cerebral que a mídia nos faz há anos. É valorizar um corpo falsamente hiper magro. Por que falsamente? Ora, cada um tem uma constituição física diferente e ir contra ela é forçar uma barra com a natureza. Todos conseguimos emagrecer ou ao longo do tempo engordamos alguns quilinhos. O que não dá pra ser mudado é uma coisa chamada massa óssea, que muitas vezes é o que define seu tipo de corpo. A massa muscular muda em quantidade e não a capacidade que você tem de aumentar ou diminuí-la. Isso é genético. Ir contra tudo isso é sofrimento, é burrice. Emagrecer não vai mudar sua constituição óssea, seu contorno de corpo ou a capacidade de ganhar ou perder músculos. Bom, perder músculos você vai, com certeza, se não emagrecer de maneira saudável, substituindo gordura por músculo e vai ficar aquela coisa "linda" : pura pele e ossos. 

               Vejamos a capa da qual eu falo? 



O fato de ter uma propaganda de remédio para emagrecer, sendo que várias substâncias foram proibidas no Brasil (apesar de existirem sim, casos patológicos em que realmente há a necessidade de uso de medicamentos) é o de menos. O fato de induzir ao emagrecimento também é o de menos. Olhem bem para a moça da esquerda. Tremendo mulherão! Não há nada de errado com o corpo dela, muito pelo contrário. Um corpo bonito, torneado e saudável. Assim como a imagem da direita, se essa for a constituição física natural da moça, também é um corpo bonito e saudável.

O que essa capa mostra é a valorização do SER MAGRA A QUALQUER CUSTO. Ou malhada a qualquer custo. Mostrar que somente o que é valorizado é a magreza e tudo que existir fora dela é feio e inaceitável. Como já foi dito aqui no blog por várias vezes, nossa intenção não é fazer uma apologia ao sobrepeso, mesmo porque com o tempo isso pode acarretar problemas de saúde. GG Girl que é esperta se cuida, malha, pra manter a saúde "ok" e não por uma falsa magreza inatingível.

Fato é que eu com um corpão desse da moça da esquerda, com o perdão da lindinha da direita ( ops, são a mesma ), eu não iria nem querer saber de ouvir falar em emagrecer. Um brinde a todos os mulherões reais e as magras saudáveis. Beijo MaGGnífico!


6 comentários:

  1. Te vejo nas fotos, vc é lindona mesmo!
    E concordo que magra demais tb é horrível, algumas mulheres acham, e mtos homens tb acham!
    O prob é um povinho hipócrita que associa magreza a beleza... A pessoa pode estar toda ferrada, mas se estiver magra está bom!

    Um exemplo é o pessoal da cirurgia bariátrica que a faz por pura vaidade... E sinceramente? É trocar de doença... Compulsão não se trata com cirurgia!

    Vivi intensamente isso, paa se "aceita" tive que emagrecer, e como não estava magra o suficiente, não fui "aprovada" pelos amigos. E de raiva engordei tudo de novo... A louca!

    Mas agora está tudo no seu devido lugar...

    Beijos!

    Excelente postagem! Assunto interessante!

    ResponderExcluir
  2. Mulherão o da esquerda ein!
    Vou muito mais fácil nela do que na magrinha.

    ResponderExcluir
  3. Verdade Carol.... me chamou muito a atenção esta reportagem esta semana e, realmente, só agora notei que não há nada de anormal com a moça linda da esquerda...

    Que conceitos mais deturpados!!!!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  4. toda essa ditadura em prol da magreza, tsc, tsc, tsc, já paguei caro por isso.

    fui criança e adolescente gordinha, sofri bulling e me sforcei pra emagrecer, virar modelo e bonita (#fail).

    Emagreci, virei modelo e ganhei uma anorexia. Hoje, 15 anos depois, curada, ainda pago o alto preço: como mal, se paro de ir academia durante duas semanas já me sinto mal, sem contar que a imagem distorcida que tenho de mim mesmo.

    Sofro, quero me libertar, mas é um processo complicado, por isso admiro demais todas as mulheres, que independente de usar 36 ou 50 são felizes com seu corpão lindo, do seu jeito e da sua maneira.

    Depois de muito tempo, aprendi que perfeição não existe, Photoshop corrige falhas e que se amar é o segredo pra ser feliz.

    Bjs, suas lindas!

    ResponderExcluir
  5. A pseudo-gorda da capa é muito mais bela que a anoréxica!!!

    ResponderExcluir
  6. Isso é um absurdo de marca maior!!!

    Colocar essa gostosa como "algo ruim" e essa magrela como "objeto dos sonhos"??? Acredito que no mínimo 90% dos homens preferem a mais cheinha, mas a mídia tenta nos empurrar esse padrão de qq maneira!
    Que horror!

    ResponderExcluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com