Caridade não!

escrito por Carol Caran



Fazemos toda essa movimentação sobre a beleza das mulheres GG, mas o fato é que ninguém é obrigado a nos achar belas. Eu, por exemplo, não gosto de homens sarados ou muito arrumados. E não vejo a menor graça na Kate Moss. Ninguém vai se ofender com isso, então eu não me melindro se não for o objeto do desejo da humanidade inteira.

O objetivo de todos esses blogs, revistas e eventos é para mostrar ao mundo que não existe um único padrão estético e que, ao deixarem de ser bombardeado com imagens de mulheres visual photoshop, as pessoas consigam abrir os olhos ao que realmente gostam.

Isto posto, vamos à indignação da semana que me fez inserir um post que não trate de moda num blog que se propunha a ser apenas sobre o jeito de vestir GG.

A revista Men´s Health é dedicada basicamente à malhação e alimentação masculina. Séries de exercícios, análises nutricionais, pesquisas inglesas que demonstram que quem come pele de frango frito na manteiga tem a unha do pé duas vezes mais longa do que quem come frango grelhado e coisinhas do gênero.

No meio disso tudo, as matérias sobre mulheres e relacionamentos que me chamavam a atenção. Não tratava os homens como canalhas cheios de testosterona como muitas publicações por aí. E não se referia às garotas como "algo" que ficaria melhor sem voz e... sem cérebro.

Mas pelo jeito, esse respeito só é estendido às mulheres magras. Uma desagradável surpresa me esperava na edição de junho: uma coluna metida a engraçadinha que falava sobre as "24 Caridades que vão levar você pro céu" (eu não consegui a imagem, mas lista é essa do link). Entre os supostos sacrifícios como "comprar bala ruim do garoto do sinal" ou "elogiar aquela amiga que deu uma engordada" -não, ainda não é essa - estava a caridade maior: "pegar a gordelícia da turma". Com direito a foto de uma página e tudo.

Não sei se era pra ser elogioso, mas o fato é que as gordas delícias que eu conheço não precisam da caridade de ninguém. Essa relação automática da mídia entre mulher gorda e mulher desesperada é o que mais me incomoda. Como toda mulher, temos nossos bons momentos, os períodos de "seca", muitos admiradores, a fase "pegadora", o namoro pra casar... Sem generalizações, pois a vida amorosa das pessoas não está ligada ao que os leitores da Men´s Health talvez queiram.

E sinceramente, quem de nós está interessada em pegar um cara pra quem a quantidade de calorias de uma picanha é o que há de mais importante pra ser pensado? Nem por caridade...


4 comentários:

  1. A-R-R-A-S-O-U, Carol!!!
    Experiências pessoais à parte, esse tipo de coisa faz qualquer sangue subir.Inclusive o meu que vc insiste em dizer que é sangue de um G só...rs.
    Mas o assunto desse post não é nada engraçado.
    Mas você mandou bem. Nenhuma das GG girls (ou G girls como eu que tb nao são tão "aceitas" como parece) que eu conheço precisam de caridade. Aliás, esse assunto me tira mais do sério do que qualquer outro.
    Porque o mundo acha que quem está fora dos padrões tem que se submeter pra ter uma vida sexual - afetiva satisfatótia?
    Uma vez li num conto erótico há muito tempo, mas nunca mais me esqueci. esqueci o contexto da história mas essa parte nunca saiu da memória:
    "Bem, você sabe as gordinhas e nem tão bonitas são mais desinibidas. Já põem o sexo logo na roda sem fazer joguinho".
    Algo no sentido de se ter tão pouco a oferecer, que já usa a transa como primeiro atrativo, como se não houvesse nenhum outro.
    Suas colocações foram perfeitas. Principalmente a final...
    Mancada... mas o que esperar né? Enfim... você já disse tudo!

    ResponderExcluir
  2. Olha Carol, seu blog é dos melhores da blogosfera plus e afins. Quanto a revista e a matéria METIDA a engraçadinha (é, tem uma diferença astronômica entre ser engraçado e metido a engraçado), dizer o quê? A revista parece ser destinada pra supostos "metrossexuais", filhinhos de papai marombados ou que querem ficar marombadinhos. Tal qual a revista VIP, com objetos de consumo impressos, totalmente irreais pra grande maioria do brasileiro. Piadinha tosca, preconceituosa e além de tudo babaca. A pessoa que escreveu, falou merd*. E das grandes...

    ResponderExcluir
  3. Adooorei a reposta a essa revistinha preconceituosa!!!
    bjos

    ResponderExcluir
  4. Acho engraçado essa idéia de que toda gordinha tá a perigo,necessitada,de que somos sexo fácil e não temos nada a oferecer,esse tipo de apelação com a gente também me deixa de sangue quente,acho deprimente uma revista que publica esse tipo d...e reportagem sem o mínimo de respeito pelas pessoas.ridículo assim como o público que lê isso e ainda acha graça

    ResponderExcluir


Somos Marcella Rosa e Marina Sena, parceiras no blog, na luta e na vontade de mudar - nem que seja um pouquinho - o mundo. O Maggníficas é um pouco de nós, porque aqui tem moda democrática, empoderamento feminino e amor próprio. Nosso foco é a sororidade e a vivência plena de todos os corpos, porque acreditamos que somos todas maggníficas e que todo mundo pode tudo!

maggnificas@gmail.com