Oi, pessoal!

Mexendo em algumas coisas por aqui e revendo alguns looks que já postei, percebi que deixei um de fora (#todaschora)! É um look muito fofo, básico, mas que serve muito para inspirar! Fiquei feliz de rever um look assim, lindinho e minha cara, e com o cabelo castanho ainda!




Esse look é mais uma inspiração mesmo, já que esse short de cintura alta já apareceu no Blog milhares de vezes (é muito amor)!

Short branco é bem difícil de achar a partir do manequim 46 e inclusive fiz esse com uma amiga que costura, porque eu não havia encontrado um branco e ainda com a cintura bem alta do jeito que eu queria. E ele é tão versátil! Eu uso sempre, com cropped, com quimono, com blusinhas soltinhas, e com as justas também! Todas nós deveríamos ter uma peça como essa 

Usei o short com uma blusa estampada de coroa e com listras atrás, e amei o resultado!

(acabei ficando nostálgica lembrando da cor do meu cabelinho, deu saudade!)





Blusa: Plas Plums
Sapatilha: Ana Mello
Acessórios: Acervo

Fotos: A Casa Retrato 

Gostaram dessa inspiração? Sentiram também minha nostalgia? 
Me contem tudo: aqui, no Facebook ou no Instagram (@maggnificas).

(essa postagem não é publi!)

Beijo beijo!







Oi, Maggníficas!
Semana passada fiz um look com jeans básico para dia, lembram? Se não lembrar, podem conferir AQUI. Hoje trouxe a versão noturna: mesmo jeans, mas com renda!

 A blusa de renda é mega velha e era da Carol (velha tipo, faz pelo menos 10 anos que ela me deu). 




Coloquei um top desses 'straps' que estão na moda e quebram a seriedade da renda:



Na cabeça, uma tiara de pedras, para dar um pouco de sofisticação no cabelo  bagunçado!





E pronto: levando a blusa certa na bolsa você sai do trabalho direto pra baladinha, sem perder tempo.




Gostaram? Espero que sim!
Sim? Vamos conferir de onde vem tudo, então.
Calça:  Marisa
Blusa: sabe-se lá, já virou item de domínio público.
Sandália: Usaflex

* post é feito em parceria com a marca, respeitando meu gosto pessoal. O post é todinho meu :D









Oi, gente! Tudo bem com vocês?

O look de hoje é um daqueles perfeitos para os dias corridos de São Paulo! Nós por aqui saímos cedo, quando o tempo geralmente ainda está fechado, mas durante o dia o sol aparece com toda força. Sabem como é?




O quimono é perfeito para esses momentos mais friozinhos, quando bate um ventinho, e a blusinha é ótima para encarar o calor do verão! E a legging garante o conforto para a correria o/

Eu já comentei sobre essa blusa antes, sobre o quanto ela é confortável e também versátil! Look perfeito 



O quimono vem para quebrar a falta de coloridin que faz meus olhos brilharem! Quimonos sempre me lembram a Alinne (♥) e esse é demais: adoro quimonos por serem peças soltinhas e combinarem super bem com peças mais justas. Torço com força para que eles voltem a ser tendência!



Sempre digo que adoro usar legging: lisa, estampada, colorida, todas! E eu adoro ainda mais porque agora usamos porque queremos e não por ser nossa única opção. Leggings são versáteis, confortáveis e podem protagonizar várias composições! Essa é preta e por isso mais básica e combina com tudo; e tem um detalhe lateral lindo! Vocês também gostam?

Para completar meu coloridinho, usei minha sandália amarela, que apesar de ter salto é uma plataforma bem confortável, e curti demais o resultado!


Essa blusinha já apareceu AQUI em um look com colete de franjas e saia jeans, e a Marcella já mostrou um look com a blusa e o quimono também, AQUI.

Blusa, legging e quimono: Marisa
Sandália: Galinha Morta
Pulseira: Luxe Mode
Anéis e brinco: Acervo (alguns não lembro de onde são, outros são aquisições em viagens e os que sobram foram presente)


Fotos: A Casa Retrato 

Gostaram do meu look? Me contem! Pode ser aqui, na fan page do Blog ou no nosso Instagram (@maggnificas).

(as peças foram presente da marca e elas estão aqui porque respeitam e agradam meu gosto pessoal; o texto do post é sempre por minha conta!)

Beijo beijo!







Olá pessoal!
Semana passada comecei dando dicas bem básicas de combinações de estampas (veja AQUI). Hoje, continuo o guia com combinações com resultados mais marcantes, mas que ainda são bem simples de fazer (clique nas imagens que aumentam)!
3) Estampas em PB são fáceis de combinar: uma boa dica pra iniciar um look com duas peças, como blusa e calça/saia, é usando dois padrões em preto e branco. Vale listras com bolinhas, estampa de zebra com quadrados, grafismo com florais... Você pode combinar com uma terceira peça ou acessório liso, em alguma cor neutra ou forte. 


4) Listras combinam facilmente com estampas florais: Uma combinação muito acertada é a de listras com estampas florais. Tanto que são comumente encontradas juntas na mesma peça. Você não precisa coordenar cores ou tamanhos entre as peças. Essa mistura é uma aposta segura e harmônica!



Estão gostando? No próximo post vou aumentar ainda mais complexidade das combinações. E vocês? Já animaram a tentar? Comentem aqui, no Facebook ou no Instagram (@maggnificas) ou no nosso e-mail (maggnificas@gmail.com)!
Beijos!








Primeira coisa a ser dita sobre o post de hoje: ele é o ensaio de uma ideia que ainda não tenho material teórico suficiente para elaborar plenamente. É um texto-intuição, de algo que eu quero que mude, mas não sei como exatamente. Algo que vejo como problemático, mas não sei dizer de que modo pode ser mudado. Nem sei se é passível de mudança plena nessa geração. Enfim: construamos juntas essa ideia, por favor.

Empoderamento é um processo difícil, quase nunca pleno, dolorido. Não é do dia para noite que nos sentimos bem conosco, que somos capazes de lidar com o próprio corpo sem neuras, sem sofrimento, em plena liberdade. Enfim, na foto posada é fácil. Difícil é encarar o próprio corpo no espelho todos os dias e amar tudo, de qualquer maneira. A gente vai se amando aqui e ali, um amor que vem com uma adversativa na surdina... “mas se fosse diferente aqui”.

O empoderamento estético vem de diferentes maneiras. Escrever é uma que me ajudou muito. Para algumas mulheres, pela amizade. Outras, pela militância. Mas há uma falso sensação de bem estar, que pode ser uma armadilha cruel: a autoestima via o outro, especialmente se esse outro é um homem parceiro sexual. (não vou dar pitaco em relacionamentos amorosos entre mulheres porque não tenho conhecimento suficiente).

Houve uma vez na minha vida que eu me apaixonei perdidamente. E ele era lindo, absolutamente lindo. E ele fazia com que eu me sentisse linda. Eu comecei – sinceramente – a acreditar que as minhas gordurinhas ‘extras’ realmente eram sensuais. Eu andei nas nuvens uns meses, me sentia tão bem comigo mesma como nunca antes. Não existe nada mais prazeroso do que transar com alguém que nos dá a impressão de que aquilo é exatamente o que deveria ser: que o seu corpo é o corpo realmente desejado, na forma como ele se apresenta. Eu me adorava, fiz as pazes com os espelhos e as fotos... Mas era tudo mentira. Eu não me amava, na verdade. Amava o que ele amava em mim. Um dia, porém, ele me trocou por outra. Totalmente diferente de mim. E eu perdi, por um tempo, minha base: afinal, era tudo mentira? Afinal, minha autoestima não existia?

Demorei anos para me recuperar. Na realidade, nem sei dizer se eu me recuperei plenamente. Ora ou outra, sempre relembro alguns elogios que ele fazia e penso: mentira, mentira, isso é horrível em mim. Hoje, o que há de empoderamento em mim vem de dentro. Não é pleno. Ainda tem dias que não queria ser vista e noutros que acho que é impossível ver beleza em mim. Não sei se alguém se sente maravilhosa 100% do tempo. Mas nos poucos ‘porcentos’ que eu me sinto, a conquista é só minha. Não é preciso dar tesão em alguém para amar o próprio corpo. Não deveriam ser necessários os elogios do outro para que eu me aconchegue. PIOR: homem nenhum deveria crer que a nossa sexualidade depende da aprovação deles. Gordelícia é pejorativo. Aceitar nossas estrias se a bunda é grande, é violência, não carinho. Aliás, seu bando de merda, a gente não quer, não deve e não vai se amar mais porque vocês nos desejam. A gente faz pela gente. Hoje eu sei que chutei esse padrão de bosta. Que volta, que dói. Contra o qual a gente segue brigando. Mas eu chutei sozinha.

(por isso que escrevi, quero muito falar o quanto sofro com essas imagens que reproduzo abaixo)

a gente não precisa disso

sensualidade não é e nunca será compensação. e isso é violência. 
(denunciei a página, mas não virou nada)








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...